Instituto Missionário dos Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

25 de janeiro de 2018

Conversão de São Paulo, Apóstolo, Festa

 

 

Apresentação

 

 

Prezado leitor, seja forte e determinado, faça a sua parte e implore a Deus o auxílio necessário para suportar e vencer as grandes dificuldades de cada dia. Leia atentamente esses pensamentos escritos pelo Pe. Divino Antônio Lopes FP(C), e revigore seu ânimo para essa difícil luta.

 

 

Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor

Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

 
01

A vitória é conquistada com as armas da paciência e da força de vontade… saber esperar não é derrota… “atropelar”, sim.

02

Os santos estão no céu porque nunca deixaram de lutar. Aquele que desiste não se salvará.

03

A força de vontade perseverante “chicoteia” a dificuldade… essa torna-se “escrava” da outra.

04

Aquele que possui força de vontade “passeia” sobre os “espinhos” das provações.

05

A força de vontade é uma poderosa “máquina” que aplaina os “montes” das dificuldades que surgem à nossa frente.

06

A força de vontade é uma forte “senhora” que nocauteia os obstáculos que ameaçam o nosso progresso.

07

A dificuldade é uma “mocinha” assanhada e catireira que dança catira sobre aquele que não possui força de vontade. Pobre tablado podre!

08

 É grande sabedoria praticar antes de ensinar… e assim despertará no próximo a vontade de realizar o bem sem recuar.

09

Acredite em Deus, mas acredite também em você… não diga: não sirvo para nada; porque Deus não criou você por acaso.

10

Acreditar em Deus e cruzar os braços é derrota certa, porque Deus não ajuda o apático e preguiçoso.

11

Aquele que não vence as dificuldades que surgem pelo caminho pode perder muitas “maravilhas”… principalmente o céu.

12

É impossível subir a “montanha” do céu de braços cruzados. Deus exige que façamos a nossa parte… que estendamos os braços.

13

Não podemos deixar o inimigo sufocar o nosso ideal.

14

Não podemos desistir da batalha… o Reino dos céus sofre violência; não podemos nos inclinar diante das “tempestades”, por furiosas que sejam… elas sopram para testar a força das nossas raízes… quem estiver alicerçado em Deus permanecerá de pé.

15

Muitas pessoas morreram de mãos vazias porque não tiveram coragem de recomeçar depois da queda.

16

Deus quer que lutemos sempre, mesmo que a vitória não venha de imediato.

17

Nenhum obstáculo, por maior que seja, resiste à força de vontade que não retrocede… que não recua.

18

O “santo” atrevimento e a “santa” teimosia já realizaram muitos “milagres”… principalmente o de “voar” sobre altas “muralhas”.

19

A dificuldade, por “furiosa” que seja… se “ajoelha” diante da força de vontade.

20

Para vencer sempre é preciso lutar todos os dias com muita força de vontade… e com os olhos fixos no Deus que tudo pode.

21

A galinha choca faz muito barulho quando voa e quase não sai do lugar. O mesmo acontece com aquele que possui muita força de vontade, mas vive longe de Deus… faz muito barulho, mas “voa” baixo.

22

Feliz da pessoa que luta continuamente para evitar o pecado… principalmente contra as recaídas. Essa “ferida” exposta não pode agradar a Deus… o nosso Criador “admira” muito as “cicatrizes” na nossa alma… elas só aparecem quando as “feridas” forem “cicatrizadas” com os remédios da contrição perfeita e do propósito firme.

23

Só existe uma desistência agradável a Deus: a desistência de ser covarde, pusilânime, pessimista e pecador… então desista agora!

24

Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer.

25

Não podemos tremer diante do vendaval furioso… ele só levará as folhas podres.

26

Não há vitória sem paciência, perseverança e luta… muita luta!

27

Na hora da morte, o batalhador dirá com o coração cheio de felicidade: a minha vida foi um oceano de dores, provações e dificuldades; mas consegui permanecer de pé diante do turbilhão.

28

A dificuldade não é um “monstro”; mas sim, é uma “Escola”. Cada provação que suportamos nessa vida por amor a Deus e com paciência, nos serve de aprendizado. Quem resmunga e se revolta, morre “analfabeto”.

29

A decepção é uma ótima “Faculdade”. Ela nos ensina a confiar sempre em Deus e a desconfiar quase sempre dos homens.

30

Não podemos desistir da nossa caminhada por causa da decepção que tivemos com alguém. É preciso retirar esse “espinho” e continuar a caminhada, não andando, mas correndo, porque o “espinho” não está mais prejudicando as nossas passadas.

31

Quem está com Deus nunca está sozinho.

32

Feliz da pessoa que se “apaixona” pela decepção; com certeza não sofrerá muito.

33

Diante das muitas quedas pelo caminho, é preciso dizer com o coração cheio de fé e vontade de vencer: vou recomeçar! E nunca dizer: não consigo… está tudo perdido!

34

Não pare de caminhar para o céu por causa das fofocas, calúnias e difamações… o que o povo diz o vento leva. “Imite” as estrelas… grandes e pequenas… elas não buscam elogios nem aplausos… apenas brilham intensamente. Não deixe de brilhar por causa das línguas “desocupadas”.

35

Levante de manhã com os olhos fixos em Deus, Luz Eterna, e o seu dia será iluminado, mesmo que apareçam “nuvens negras” ameaçadoras.

36

Ninguém faz progresso por reclamar da vida nem por choramingar o tempo todo… é preciso olhar para o alto e confiar em Deus. As provações são necessárias para a vitória ser valorizada.

37

Aquele que caminha na presença de Deus e foge das criaturas… evita muitos problemas e decepções.

38

A vitória é inalcançável para quem não confia no poder de Deus.

39

Todo obstáculo é superável para aquele que luta sem desistir.

40

Não podemos ficar choramingando pelo passado… o que passou, passou… peçamos perdão a Deus pelos erros cometidos e corramos com fé em busca da vitória… se o passado fosse coisa útil, com certeza ele seria o presente ou o futuro. Aquele que se “agarra” ao passado perde muito tempo e faz pouco progresso na vida.

41

As dificuldades não são para sempre… é preciso superá-las com luta e garra… elas são como tempestades… “sopram” furiosamente, arrancam algumas folhas podres… e passam… o que “caiu”, com certeza não estava bem alicerçado. Depois da tempestade o sol brilha “alegremente”… olhe para trás e veja quantas coisas piores você já passou e superou!

42

É preciso suportar as sacudidas, sacudiduras, sacudidelas e sacudimentos… Desistir? Jamais! Diante da tentação de desânimo, é preciso lembrar que o fracassado não verá a Deus após a morte… os medíocres não se salvarão.

43

O otimista também erra, porque ele não é impecável nem infalível… mas inicia sempre querendo construir… enquanto que o pessimista inicia sempre errado… querendo destruir.

44

Desistir? Jamais! Quando encontrarmos a “porta” fechada, não a chutemos nem “briguemos” com ela… também não sentemos na soleira, isso seria sinal de desânimo; mas, com muita alegria e força de vontade, passemos pela “janela”… isso deixa os inimigos furiosos. É perigoso eles derrubarem a “casa” nas nossas cabeças!

45

O fracasso é uma “Escola” que nos ensina a recomeçar com prudência, organização e confiança no Senhor que não confiávamos antes de fracassar.

46

A força de vontade deve ser forte e perseverante… a mesma deve “voar” sobre as barreiras que surgem pelo caminho.

47

É preciso aprender com as derrotas! Feliz da pessoa que constrói altas escadas com as pedras que obstaculizavam a sua caminhada para a vitória. Muitos santos construíram essas escadas, e hoje estão no céu… felizes “pedreiros”.

48

Para colher frutos, é preciso primeiro sulcar a terra e plantar. Sem esforço não há sucesso… resultado feliz.

49

É grande sabedoria e atitude correta se afastar da pessoa falsa… além de horrorosa, medonha e “espantosa”… causa repugnância. Judas Iscariotes é modelo “perfeito” de falsidade!

50

É preciso abrir o coração para Jesus Cristo e confiar somente n’Ele… esse Senhor jamais nos trairá… é um amigo fiel e verdadeiro. Infeliz daquele que despreza a amizade de Cristo para seguir um falso amigo… o pior inimigo é o falso amigo… ele atrai para matar.

51

O abraço da “senhora” falsidade assemelha-se ao “abraço” do tamanduá… deixa marcas profundas.

52

O falso anda de mãos dadas com o demônio, pai dos falsos e mentirosos (Jo 8, 44).

53

Deus não nos criou para as coisas caducas desse mundo… não somos minhocas. Fomos criados para coisas sublimes… para o céu eterno… felicidade que não termina!

54

O peixe se “alegra” na água… e a nossa alma se alegra em Deus… basta uma “gotinha” do Deus infinito para nos alegrar.

55

Somente um bem pode saciar a sede de uma alma espiritual e imortal: Deus Infinito! Longe d’Ele só existe inquietação e amargura.

56

Para uma pessoa que caminha na presença de Jesus Cristo, Luz do mundo, há sempre uma saída… o Senhor nunca deixa de iluminar os passos dos seus amigos.

57

Aquele que confia em Deus transpõe… ultrapassa… salta qualquer barreira; mesmo aquela que parece ser intransponível.

58

Aquele que se apoia em Deus não será “varrido” pelo vento furioso das perseguições.

59

O mundano nunca está satisfeito com o que possui… quer sempre mais. O abismo do querer jamais ficará cheio, pois não tem fundo.

60

Deus nos oferece o céu para sempre… os prezares que o mundo oferece é de pouca duração. Somos livres para escolher… a decisão é nossa!

61

Uma pessoa cheia de ânimo e coragem vale mais que um exército medroso, trêmulo e indeciso: “Quem estiver tremendo de medo volte e observe do monte Gelboé” (Jz 7, 3).

62

Deus quer que esmaguemos o desânimo e o medo com a “rocha” da vontade de vencer: “Não temas e não desanimes!” (Jz 8, 1).

63

Quando o caminho vai se estreitando… então é preciso escancarar o coração para o Deus do impossível e implorar a sua ajuda: “Deus, porém, é meu socorro, o Senhor é quem sustenta minha vida”(Sl 54, 6).

64

Não basta recomeçar para vencer… mas é preciso recomeçar e não desistir… recomeçar e não retroceder… não recuar diante das provações… perseverar na luta.

65

Infeliz da pessoa que fica prostrada na “sarjeta” do desânimo por causa da indiferença dos invejosos, perseguidores e zombadores. Jesus Cristo é o nosso refúgio e proteção… não podemos ficar calados quando Ele “passar” perto de nós… mas devemos “gritar” alto pedindo a sua proteção e ajuda… principalmente quando formos repreendidos pelos inimigos. Imitemos o cego Bartimeu e gritemos com força e fé: “Filho de Davi, Jesus, tem compaixão de mim!” (Mc 10, 47).

66

Deus é a verdade… o seu caminho é de luz; não podemos abandonar o Criador, Verdade Eterna, para agradar aquele que percorre o caminho das trevas e se prostra diante do demônio, pai da mentira.

67

Jamais abandonemos o caminho da verdade… mesmo que o mundo todo se revolte contra nós. Aquele que caminha na verdade é livre; mas o que se inclina diante da mentira e da falsidade torna-se escravo do demônio.

68

O amigo falso é muito perigoso… ele encabeça a fileira dos inimigos cruéis: “À frente estava o chamado Judas, um dos Doze” (Lc 22, 47).

69

Aquele que cruza os braços diante de uma montanha jamais chegará ao seu cume. O mesmo acontece com uma pessoa que deixa de lutar por causa das “montanhas” das dificuldades… jamais obterá vitória: “… perseverando na tribulação” (Rm 13, 12).

70

O covarde não possui cicatrizes, porque foge desesperadamente do campo de batalha… é uma “boneca” intocável!

71

O mundo é um inimigo enganador e falso… promete o que não pode dar. Aqui nesse mundo, grande “hospício”, encontra-se miséria e desgosto sem medida e sem fim… os inimigos estão soltos em toda parte. Paz, segurança e alegria, haverá só no céu… então lutemos com “violência” para conquistá-lo: “O Reino dos céus sofre violência, e violentos se apoderam dele” (Mt 11, 12).

72

Ninguém deve pensar em “fugir” para o céu; mas sim, em salvar a alma no meio de grandes lutas e muito amor a Deus. Não podemos desejar o céu por covardia, mas por amor a Jesus… por vivo amor de ser quanto antes unido a Ele. O céu não é sarcófago para “múmias” melindrosas.

73

É perda de tempo tremer diante da morte… ela jamais “morrerá”… ela está sempre “viva”. Jesus Cristo morreu… a Virgem Maria morreu… os Apóstolos morreram… todos os santos morreram. A morte tem horrores só para os maus… para aqueles que já vivem mortos espiritualmente; mas para os amigos e heróis de Deus, a morte é algo de precioso, consolador, amável e desejável… é um “anjo” com a “chave” do céu nas mãos: “Pois para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fl 1, 21).

74

Aquele que possui o crucifixo nas mãos e no coração, isto é, que segue “furiosamente” a Cristo crucificado… não pode temer a hora da morte… porque está em paz com Deus. De Jesus ele aprende a morrer, como d’Ele aprendeu a viver… Atrás de si tem um passado luminoso… pela frente o glorioso caminho do céu… tudo brilhante e refulgente… morre… abrem-se os céus… Jesus o recebe: “Vem alegrar-se com o teu Senhor!” (Mt 25, 21).

75

Todo esforço será recompensado… também aquele de ir para o inferno: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno preparado para o diabo e para os seus anjos” (Mt 25, 41). Recompensa quente… “fritante”.

76

O nosso Deus é o Deus do impossível… os covardes e medíocres enrugam a testa e torcem o nariz diante dessa “terrível” verdade.

77

A maior de todas as tristezas é quando uma pessoa consente em se “casar” com o pecado mortal… tomando essa triste atitude, ela dá adeus para Deus… para o céu… para a verdadeira felicidade. Se os Anjos pudessem chorar, com certeza chorariam de dor.

78

Seja otimista! Mesmo se tudo desabar em sua volta… busque apoio na “coluna” da sua vontade de vencer.

79

É grande covardia abandonar o campo de batalha por causa das grandes dificuldades. Aquele que confia em Deus não teme as “armas” dos homens: “Tu vens contra mim com espada, lança e escudo; eu, porém, venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos” (1 Sm 17, 45).

80

O demônio bate “estacas” atrás daquele que desiste da santidade, para que não tenha força de recomeçar.

81

Não podemos entrar no “barco” dos mundanos e infiéis que negam a existência do céu e do inferno… eles já perderam o remo, a bússola e a roda do leme… “navegam” desorientados sobre a fossa do mundo. O céu existe! O inferno existe! Não há porque discutir! O que faz o inferno ser inferno é a eternidade. Ela também faz o céu ser céu. Caia no inferno um raio de esperança de um fim, e já deixará de ser o lugar de desespero. Caia no céu uma sombra de medo dum termo de suas alegrias, e já não será mais o lugar do gozo infinito. É muito perigoso negar o que Deus afirma: “E irão estes para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna” (Mt 25, 46).

82

Não estamos aqui nesse mundo para brincar com a nossa alma espiritual e imortal… “operai a vossa salvação com temor e tremor” (Fl 2, 12). Ninguém tem certeza absoluta da própria salvação… somente uma certeza moral. Está claro que só poderemos “descansar” no céu! Nem sequer o Papa, sucessor de São Pedro, tem certeza absoluta de estar em estado de graça santificante. Os mercenários dizem que já estão salvos… é por isso que cometem tantos crimes em nome de Deus… e “vendem” tantos terrenos no céu.

83

Esse mundo é um campo de batalha… batalha contínua e difícil… somos soldados do Rei Jesus… a nossa vida aqui na terra é uma vida de soldado, não de parasita.

84

Somos soldados do Rei Jesus… inclinemos a nossa cabeça diante do nosso Rei e o sirvamos com fidelidade, alegria e dedicação. Não é fácil trabalhar para o Salvador… Ele não prometeu vida cômoda para os seus soldados. É uma vida levada pelos “montes” das provações… pelos “vales” dos desprezos… pelo “frio” da ingratidão e pela “chuva” das calúnias, difamações e críticas… quem perseverar até o fim entrará no céu, pátria eterna.

85

Aqui na terra, o soldado, se quer viver, tem de lutar… se quer ser premiado, tem de vencer. O Rei Jesus é o Rei da misericórdia, mas é também o Rei da justiça. Aquele que quiser permanecer vivo espiritualmente, isto é, com a graça santificante na alma, tem que lutar continuamente contra a carne, o mundo e o demônio… quem cruzar os braços morrerá espiritualmente. O Rei Jesus é justo! Ele premeia somente o vencedor com o céu: “Ao vencedor concederei sentar-se comigo no meu trono” (Ap 3, 21). O “soldado” derrotado será condenado ao inferno: “Amigo, como entraste aqui sem a veste nupcial? Ele, porém, ficou calado. Então disse o rei aos que serviam: Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o fora, nas trevas exteriores. Ali haverá choro e ranger de dentes” (Mt 22, 12-13).

86

Esse mundo é um campo de batalha… para se salvar é preciso viver na presença de Deus. O soldado de Jesus Cristo não descansa aqui na terra; mas sim, no céu.

87

Para uma pessoa que não confia em Deus, todo obstáculo é intransponível.

88

Aquele que suporta as dificuldades com paciência, alegria e perseverança, firma-se no caminho da luz e torna-se “aço” inflexível.

89

Se a “muralha” das provações estiver na nossa frente, não podemos olhar para trás… isso pode “alimentar” a tentação de desistir, de retroceder e recuar… devemos enfrentá-la com os olhos fixos no Deus que tudo pode: “Junto convosco eu enfrento os inimigos, com vossa ajuda eu transponho altas muralhas” (Sl 17, 30).

90

Aquele que “tropeça” na “pedra” da dificuldade e abandona o caminho da luz… não ama verdadeiramente a Deus. Quem ama a Deus sofre sem desistir!

91

As dificuldades que surgem pelo caminho provam a nossa fidelidade a Deus… quem não é fiel a Deus desiste logo no primeiro obstáculo.

92

Infeliz da pessoa que perde tempo com a felicidade oferecida pelo mundo… ela é como a fumaça que se dispersa; verdadeira felicidade só no céu… só em Deus, fonte da verdadeira alegria.

93

O mundano é um louco que busca luz nas trevas… impossível! A verdadeira felicidade não está nas trevas… no pecado; mas sim, em Deus… somente o Criador pode alegrar uma alma imortal. Só no Senhor Infinito é possível o coração encontrar descanso.

94

Só em Deus está a verdadeira felicidade… quem a procura fora d’Ele anda buscando a luz nas trevas.

95

O demônio existe! Os mundanos usam todos os meios para negar a existência desse ser furioso e atrevido… tudo em vão! Ele existe! Jesus Cristo, nosso Salvador, e o demônio, grande inimigo, disputam a posse da nossa alma… nós decidimos se queremos a Luz ou as trevas. Jesus não obriga ninguém a segui-lo… e o demônio não pode obrigar alguém a pecar. Feliz daquele que escolhe seguir a Jesus Cristo, Luz do mundo

96

O demônio e os demais anjos caídos não cessam de promover tentações e ciladas a todos… eles não dormem nem tiram férias. São esses malditos que “fazem” o homem estimar demasiadamente os bens da terra, honras, divertimentos, prazeres da carne e a satisfação da própria vontade.

97

Jesus Cristo é pouco amado e desprezado… porque é o Deus da verdade. Ele não promete riquezas, honras vans, prazeres e sensualidade… pelo contrário, o Salvador chama de bem-aventurados os pobres, os humildes e pacíficos, os que sofrem com paciência e os castos. Feliz da pessoa que ama a Cristo de todo o coração… pois ninguém fez mais por nós do que Ele… longe d’Ele só existe a eterna infelicidade.

98

É grande loucura e perda de tempo se inclinar diante do lixo e dos prazeres desse mundo… ele não pode alegrar a nossa alma imortal… somente o Deus Eterno pode satisfazê-la e alegrá-la.

99

Deus é Infinito, Imenso, Eterno, Poderoso… encontramos tudo n’Ele! Por que mendigar o vazio do mundo? O mundo é um “palhaço” que atrai para matar.

100

Se uma pessoa perde tempo com as coisas caducas do mundo… com certeza ainda não encontrou a adorável Face de Nosso Senhor. Só Jesus basta!

 

 

Pe. Divino Antônio Lopes FP (C)

25 de janeiro de 2018

Conversão de São Paulo, Apóstolo, Festa

 

Voltar ao topo

 

Este texto não pode ser reproduzido sob nenhuma forma; por fotocópia ou outro meio qualquer sem autorização por escrito do autor Pe. Divino Antônio Lopes FP(C).

Depois de autorizado, é preciso citar:

Pe. Divino Antônio Lopes FP(C). “Pensamentos diversos I”

www.filhosdapaixao.org.br/escritos/colecoes/livros/057_pensamentos_diversos_i.htm