Instituto Missionário dos Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

01 de maio de 2018

Memória de São José Operário

 

 

Apresentação

 

 

Prezado leitor, seja forte e determinado, faça a sua parte e implore a Deus o auxílio necessário para suportar e vencer as grandes dificuldades de cada dia. Leia atentamente esses pensamentos escritos pelo Pe. Divino Antônio Lopes FP(C), e revigore seu ânimo para essa difícil luta.

 

 

Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor

Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

 
01  

Deus criou o homem e colocou nele uma imensa sede de plenitude... não uma sede pelo lixo e lama desse mundo: “Nasci para as coisas do alto” (Santo Estanislau Kostka).

 

02  

Aquele que possui um ideal mesquinho desiste com facilidade; mas aquele que deseja ardentemente o céu não desiste da caminhada: “Sou Cristão e cristão permanecerei. Honra maior não conheço que esta, de sacrificar não só meus bens e minha fortuna, como também minha vida, pela glória de Jesus Cristo” (São Flaviano, mártir).

 

03  

O coração que serve a Deus... que vive na graça santificante... que caminha na luz, não pode estar triste... para ele é sempre “primavera”: “Quem é virtuoso, não precisa estar triste” (Santo Honorato, bispo).

 

04  

Aquele que ama verdadeiramente a Jesus Cristo deve segui-lo e servi-lo dia e noite... sem intervalo... esse amor ao Senhor não pode tirar férias... deve ser “eterno”: “Sou cristão, e como cristão quero viver e morrer” (Santo Anastácio, mártir).

 

05  

O nosso amor a Cristo deve ser sincero... verdadeiro... legítimo... não amor interesseiro, superficial... de verniz. Nada nesse mundo pode nos separar do amor daquele Senhor que morreu numa cruz para nos salvar: “Oitenta e seis anos são que completo no serviço de Jesus Cristo e Ele nunca me fez mal algum; como poderia injuriá-lo” (São Policarpo).

 

06  

Quem serve a Jesus Cristo caminha na luz e enfrenta os perseguidores com valentia, ousadia e com “santo” e “violento” atrevimento: “Sou cristão e não abandonarei a Cristo” (São Policarpo).

 

07  

Quem quiser conquistar a Vida Eterna tem que enfrentar as “muralhas” das dificuldades com coragem... muita coragem... deve “transpirar” coragem: “Se a coragem ajuda nas pequenas ocasiões, nas grandes é indispensável” (Dom Rafael Llano Cifuentes).

 

08  

O inferno é a pátria dos covardes... daqueles que fugiram do caminho da santidade... que voltaram as costas para a renúncia e o sacrifício: “Quantos grandes destinos deixaram de ser abraçados por covardia!” (Dom Rafael Llano Cifuentes).

 

09  

Para “construirmos” a “escada” para o céu, devemos “destruir” o nosso coração de pedra... “implodir” a “muralha” do orgulho que nos separa de Deus... sem essa “destruição” não “voaremos” para o céu: “Se eu não  tivesse destruído tudo, não teria podido edificar a mim mesmo” (Abade Alônio).

 

10  

Abandonar a Deus, segurança total, para seguir o mundo e suas máximas, insegurança total, é viver no vazio e lançar a alma num mar de amargura: “O mundo não é nada. Só Deus é tudo” (São Pedro Julião Eymard).

 

11  

Aquele que confia no homem jamais terá segurança... será como um barco sacudido pelas ondas do mar durante grande e furiosa tempestade. Somente em Deus encontramos a verdadeira segurança: “Espera em Deus, sê firme! Fortalece teu coração e espera em Deus” (Sl 26, 14).

 

12  

É grande cegueira abandonar o caminho do céu, felicidade eterna... “casa” de Deus... para “prender” o coração nesse mundo passageiro e caduco. Esse mundo é uma pátria “postiça”... enquanto que o céu é a pátria que jamais será destruída: “Não tenhas dúvida de que somos peregrinos e caminheiros aqui na terra: nossa pátria é o céu” (São Caetano).

 

13  

Só em Deus devemos confiar... esperar... só no Criador devemos esperar... não percamos tempo com as criaturas: “Só em Deus eu coloquei minha esperança!” (Sl 39, 8).

 

14  

Não imitemos o péssimo exemplo das pessoas más... não deixemos de realizar boas obras por causa da ingratidão dos amigos das trevas... não deixemos de caminhar pelo caminho da luz por causa dos seguidores das trevas. Deus sabe de tudo e premiará somente os bons: “Não sois um Deus a quem agrade a iniquidade, não pode o mau morar convosco” (Sl 5, 5).

 

15

 

O nosso Criador é o Deus vencedor... Deus vitorioso! Não podemos abrir o coração para o desânimo, moleza e pessimismo... devemos lutar e esperar... plantar, regar, adubar e esperar com confiança... Deus não engana os seus amigos... a colheita é abundante e na hora certa: “Não desanimemos de fazer o bem, pois no tempo devido haveremos de colher, sem desânimo” (Gl 6, 9).

 
16  

Devemos tremer diante do tempo perdido... trabalhar com fervor, dedicação e zelo para “consertar” o tempo jogado fora que não volta mais... o tempo vale mais que o ouro e prata, porque com ele “compramos” o céu... enquanto temos tempo façamos o bem, porque vai chegar um dia que não o teremos mais: “Portanto, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, principalmente aos irmãos na fé” (Gl 6, 10).

 

17  

Não fique triste diante do desprezo das pessoas; pelo contrário, agradeça a Deus... é uma “cortina” que se abre para você contemplar melhor o Criador.

 

18  

Quem se prostra no “sopé” da “montanha” da provação, jamais será um vencedor... nunca chegará ao “cume” da santidade... será sempre um perdedor.

 

19  

Não fixe os olhos na “montanha” da dificuldade; mas sim, fixe os olhos acima dela, isto é, no Senhor que tudo pode... e Ele te ajudará a superar qualquer obstáculo.

 

20  

Façamos sempre o bem... o bem com perfeição, reta intenção e por amor ao Criador... cada boa obra que realizamos é um degrau que subimos na “escada” do céu: “As boas obras conduzem à vida; porém, as más arrastam para a morte” (Santo Tomás de Aquino).

 

21  

É grande sabedoria amar os amigos e os inimigos... então não teremos a “muralha” da inimizade nesse mundo: “Amai os que vos odeiam e não tereis inimigos” (Didaquê I, 21).

 

22  

O coração que se apega às criaturas é chicoteado o tempo todo pelo “chicote” da ingratidão... somente o amor de Deus pode libertá-lo de tão grande escravidão... aquele que ama a Deus possui a verdadeira liberdade: “O amor de Deus entra e preenche um coração vazio de todo o afeto às criaturas” (Santo Afonso Maria de Ligório).

 

23  

Devemos confiar em Deus... totalmente no Criador, completamente no Salvador, amorosamente no santificador... mas essa confiança não impede de construirmos uma grande e forte “cerca” ao nosso redor.

 

24  

Como é difícil confiar numa pessoa que já mentiu muitas vezes para nós! É como amassar uma folha de papel... por raro que seja o papel, nunca será como antes. A dúvida “corroerá” sempre o nosso interior.

 

25  

O traidor é um grande e terrível “ladrão”... rouba a paz das pessoas com quem convive e as mergulham na aflição. Total desassossego! Grande inquietação!

 

26  

É grande sabedoria passar os problemas somente para Deus que já os conhece e não é fofoqueiro. Abrir o coração para o próximo é muito perigoso... principalmente quando ele tem o péssimo costume de espalhar “notícias”.

 

27  

A pior de todas as “punhaladas” é a da traição... é uma ferida que cicatriza, mas dificilmente a “marca” desaparece.

 

28  

O mundo fabrica diariamente os seus “deuses”... mas na verdade são ídolos quebráveis e frágeis... “rasgam” com facilidade, porque são ídolos de pano.

 

29  

A traição é uma violenta “tempestade” que destelha em um minuto a “casa” da confiança que demorou dezenas de anos para ser construída.

 

30  

A traição é dolorosa porque vem sempre de um amigo ou de alguém que fingia ser amigo: “... e o beijou. Jesus respondeu-lhe: ‘Amigo, para que estás aqui?’” (Mt 26, 49-50).

 

31  

A traição é uma “Escola” que nos ensina a confiar somente no Deus verdadeiro e fiel.

 

32  

Milhares de pessoas olham para o alto, para Deus, só depois de terem tropeçado na “pedra” da traição.

 

33  

A traição é um “sino” que tine nos convidando a confiar somente no Deus que não trai.

 

34  

Deus ordena que perdoemos o traidor... mas não nos força a confiar nele uma segunda vez.

 

35  

Por incrível que pareça... a traição já indicou para muitas pessoas o caminho do céu... “acordaram” para Deus depois que foram “apunhaladas” pelas criaturas.

 

36  

O traidor é o pior de todos os covardes... ele sorri na frente e apunhala pelas costas.

 

37  

É difícil de “pesar” e “medir” o coração do traidor... a sua maldade “assustou” o próprio Deus: “Judas, com um beijo entregas o Filho do Homem?” (Lc 22, 48).

 

38  

Aquele que possui Deus no coração e busca com sinceridade a verdade... olha com desprezo para o traidor, porque a “flecha” da traição não o atinge.

 

39  

Aquele que vive unido a Deus age com indiferença diante da traição... o que vem do lixo não o atinge, porque já possui o Tudo.

 

40  

A traição nunca acontece do dia para a noite... ela é “formada” de pequenas “traiçõezinhas”... então se “agiganta”. Que monstro repugnante! Judas Iscariotes é professor nessa “Escola!”

 

41  

Todo traidor é horrível! Mas o traidor frio, calculista, “manso”, lerdo... é o pior de todos . Judas Iscariotes é mestre nessa “Escola!”

 

42  

É grande sabedoria ficar em silêncio e rezar muito nas horas difíceis e cruciantes; mas, às vezes, é necessário gritar... e gritar alto: “Ele, porém, gritava mais ainda: ‘Filho de Davi, tem compaixão de mim!” (Mc 10, 48).

 

43  

O traidor calculista e planejador é um monstro asqueroso... “nasceu” do “casamento” entre Judas Iscariotes e o demônio.

 

44  

Quem busca vida fácil é forte “candidato” ao inferno.

 

45  

Fomos criados para a liberdade... verdadeira liberdade... a liberdade consiste em sermos escravos de Deus (Rm 6, 22).

 

46  

O caminho para o céu é longo e cheio de barreiras... barreiras pequenas e grandes... e para iniciar essa caminhada é preciso dar o primeiro passo decidido e firme... animoso e corajoso.

 

47  

Não devemos olhar a “distância” que nos separa do céu... o importante é caminhar sem desistir... caminhar sem cambalear.

 

48  

O amor a Deus é o remédio para tudo... quem não ama será condenado ao inferno.

 

49  

É preciso seguir a Jesus Cristo com fé, amor e fidelidade... Ele não engana os seus seguidores. Perguntaram para o Senhor: “Onde moras?” Ele disse apenas: “Vinde e vede”. Foram, viram e não mais o deixaram.

 

50  

Somente Jesus Cristo pode satisfazer a nossa alma imortal... pois Ele é o Deus do Amor... é o próprio Amor: “Deus é amor” (1 Jo 4, 8).

 

51  

Como é encantador caminhar com a Virgem Maria... como é doce a sua companhia... ela sabe melhor que ninguém o caminho mais curto que leva a Jesus Cristo!

 

52  

Os mundanos são loucos, grandes loucos... porque somente os loucos trocam o céu Eterno pelas vaidades que passam.

 

53  

Infelizes dos mundanos que adoram o demônio para ter reinos caducos aqui na terra e o inferno eterno após a morte.

 

54  

É grande cegueira trocar o céu por ambição do que é da terra. Grande vazio! Terrível “troca!”

 

55  

Aquele que quiser vencer tem que rezar muito e perseverar na oração... implorar ao Criador... a oração é a força do homem que reza e a “fraqueza” de Deus que atende um pedido confiante e humilde.

 

56  

Quem vive com o coração apegado aos bens deste mundo é inútil aspirar aos do céu. Um coração pesado de lixo não pode “voar” para a Eternidade Feliz.

 

57  

Deus consola os que choram... mas é preciso saber chorar... é preciso chorar, antes de tudo, os próprios pecados.

 

58  

Para entrar no céu é preciso entrar pela porta estreita... o caminho é apertado... e logo na “frente” está o Infinito... o Eterno... o Onipotente.

 

59  

Longe da vontade do Senhor não há salvação! Quem não constrói sua vida sobre a rocha firme da vontade de Deus, fracassa neste mundo e no outro, por bonitas que sejam as aparências.

 

60  

Aquele que anda borboleteando sem rumo, jamais encontrará o caminho do céu.

 

61  

A verdadeira felicidade não está nas coisas fáceis... o tesouro escondido vale muito... é oculto para dar trabalho de ser procurado e aumentar a alegria de ser encontrado... o céu não é um bar de esquina.

 

62  

Não podemos ter “medo” do cansaço, nem nos envergonhar dele... devemos cair de cansados e nos alegrar diante da fadiga... tudo para a glória de Deus e pelo bem das almas... devemos doar tudo: “O mal do mundo de hoje, é o cansaço dos bons” (Pio XII).

 

63  

É grande cegueira duvidar do poder do Criador e da sua vigilância paternal!

 

64  

Trabalhar para Deus não é passear, brincar... esse trabalho exige renúncia, esquecimento de si, heroísmo e total abertura de coração para o Criador.

 

65  

O coração de Jesus foi o mais “solitário” dos corações. Não se abriu para os aplausos, elogios e vaidades do mundo.

 

66  

Somente os seguidores do demônio sentem vergonha da amizade de Jesus Cristo, filho de Deus!

 

67  

Os santos sorriam diante do sorriso irônico dos mundanos.

 

68  

O vazio do mundo “engole” os mundanos e os “vomitam” nas chamas do inferno.

 

69  

A alegria falsa dos mundanos acaba sempre em lágrimas e luto.

 

70  

É triste e incompreensível saber que Jesus Cristo, o autor da vida, foi morto por aqueles mesmos que criara. Terrível e monstruosa rebeldia! Como pode caber tanta maldade dentro do homem?

 

71  

Devemos carregar com paciência, amor e alegria a cruz que Deus nos apresenta... ela vem sempre acompanhada da certeza da ressurreição; mas as cruzes que fabricamos com a “ferramenta” da nossa vontade própria são intoleráveis, porque são sem esperança!

 

72  

É preciso aprender de Jesus Cristo, servo sofredor, a carregar a cruz com paciência, ânimo e perseverança... sem medo... sem medo da cruz e sem medo de Jesus. Sofrer com Jesus é ser grande... porque é vencer a dor, aceitando a cruz.

 

73  

Aquele que busca o último lugar será vencedor, porque o último lugar é o único que nunca foi disputado.

 

74  

Devemos ser os servos de todos... deixar que o próximo passe na nossa frente sem passar-lhe uma rasteira.

 

75  

É muito difícil aceitar o último lugar... quem vai prestar atenção em nós? Mas é preciso crer. Deus disse. Deus não mente: “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último e o servo de todos” (Mc 9, 35).

 

76  

Jesus Cristo é o servo de todos, Ele veio para servir... quem quiser seguir a Jesus deve aprender a servir o próximo... ser servo de todos. Servir é reinar... servir é libertar-se... livrar-se de seus problemas e jogar-se no “ringue” do mundo, onde os homens lutam pela vida... ser o último é ser o primeiro... servir é ser o maior... servir é “apunhalar” o monstro do egoísmo com a “lança” da caridade... servir é deixar de ser água parada para tornar-se água corrente... é abrir o coração com a “chave” do verdadeiro amor... servir é “garantir” uma “poltrona” no céu.

 

77  

Aquele que serve o próximo com alegria e por amor a Deus ocupa sempre o primeiro lugar na fila... porque servir é reinar. O egoísta está sempre no último lugar.

 

78  

Feliz da pessoa que pede continuamente a Deus: Senhor, dai-me coragem de mudar de lugar na fila, um pouco mais para trás. Você tem essa coragem?

 

79  

Caim, aquele que matou o “cordeirinho” Abel, possui um grande exército nesse mundo violento... o seu exército chama-se: Exército do “ódio calado”: “Deus disse a Caim: ‘Por que estás irritado e por que teu rosto está abatido?” (Gn 4, 6).

 

80  

Infeliz da pessoa que não aceita bons conselhos... que prefere crescer torta a se deixar endireitar! Da árvore torta... até a cinza é torta... a sombra também.

 

81  

Ninguém é suficientemente santo... haverá sempre o que consertar! Se nascemos pecadores, devemos morrer santos.

 

82  

Como é importante a vida interior... é grande riqueza! Não é no fundo dos oceanos que as pérolas se escondem? No mundo só convence o que faz barulho. E os valores de “dentro?”

 

83  

Para milhões de pessoas a maior preocupação não é agradar a Deus; mas sim, fazer bonito. É preciso pedir a Deus que purifique essas intenções para que não manchem o bem que se pretende fazer.

 

84  

É fácil sorrir e dizer coisas agradáveis quando está descendo de uma alma montanha, isto é, quando tudo está bem. Mas Jesus Cristo não engana os seus seguidores... o Senhor é realista... segui-lo não é um brinquedo de criança. Segui-lo é tornar-se gigante, ultrapassando a si mesmo, renunciando ao próprio egoísmo.

 

85  

Jesus Cristo foi chamado de sedutor (Jo 7, 11-13)... o Senhor foi um grande “sedutor”. “Seduziu” a Saulo transformando-o no gigantesco São Paulo! “Seduziu” Maria Madalena, a pecadora, e fez dela uma santa. “Seduziu” Simão, um rude pescador, mudando-o em Pedro, pedra de uma Igreja universal e eterna! E há dois mil anos que Ele continua “seduzindo” milhares de pessoas... é um “sedutor” de verdade. Todo cristão é por natureza um “seduzido” pelo Cristo.

 

86  

Jesus Cristo é um “sedutor” que nos “arrasta” para o céu.

 

87  

Jesus fala em voz alta (Jo 7, 37)... como quem quer acordar o mundo... fala em voz alta para que os “surdos” o escutem.

 

88  

O católico deve permanecer na doutrina de Jesus Cristo... na verdadeira doutrina... não em novidades que vêm de outros mares... de doutrinazinhas de exportação... mas sim, alicerçado na doutrina de Deus... do Deus da verdade, sem se deixar influenciar por demagogos... milhões buscam a verdade, mas são cegos, não compreendem que só o Senhor a possui.

 

89  

Jesus Cristo é a luz do mundo... imploremos para que Ele lance sobre a terra um raio dessa luz que dissipa as trevas do erro que ameaça submergir os mais bem intencionados... que a Luz Eterna tenha pena desse mundo.

 

90

 

A Virgem Maria permaneceu perto da cruz (Jo 19, 25)... de pé... não desmaiada, revoltada, desesperada... de pé... mulher forte e valente... cheia de amor... amor que não desanima... que não desfalece.

 
91  

Aquele que percorre com alegria, mansidão, paciência e fé o caminho da cruz, não “tremerá” na hora da morte... mas se alegrará diante do dever cumprido.

 

92  

Jesus Cristo é Deus... não é injusto nem maldoso... Ele receberá com amor no juízo àquele que o imitou percorrendo o caminho da cruz com perseverança... o Senhor não despreza quem o imitou!

 

93  

É grande loucura e terrível cegueira abandonar o caminho da cruz... é por esse caminho que se vai ao paraíso! Quem foge desse caminho envereda pela via do inferno.

 

94  

Não há salvação longe da cruz! Não existe outro caminho para o céu longe da cruz! Por que milhões de pessoas teimam diariamente em encontrar outro caminho para o céu? É o desejo pela vida cômoda. Triste procura! Busca inútil! Perda de tempo!

 

95  

Para vencer a carne, o demônio e o mundo, é preciso se proteger com o escudo da cruz. Sem esse escudo a derrota será humilhante e total.

 

96  

O inferno é uma eternidade que está sempre “iniciando”... enquanto que os sofrimentos desse mundo acabam na hora da morte.

 

97  

É grande loucura não acreditar na Vida Eterna e desprezá-la com zombaria e desdém... mas, a pior de todas as loucuras, é acreditar nela e viver como se ela não existisse, isto é, caminhar tranquilamente “abraçado” com o pecado mortal e “colecionar” pecados.

 

98  

A preguiça está por detrás de todo fracasso. O fracassado inventa muitas desculpas pelo fracasso, mas nunca diz que a causa de tudo foi a preguiça.

 

99  

O anjo do Senhor disse à Virgem Maria: “O Senhor está convosco” (Lc 1, 28). Que Senhor é esse? Um grande desse mundo? Não! É Deus, o Senhor dos grandes desse mundo. Deus Pai está com a filha divina... Deus Filho está com a mãe divina... Deus Espírito Santo está com a Esposa divina e fidelíssima.

 

100  

O verdadeiro filho da Virgem Maria é filho da luz... santo e filho do céu... não se perderá eternamente. Ela não abandona um filho dócil, obediente e fiel.

 

 

 

Pe. Divino Antônio Lopes FP (C)

01 de maio de 2018

Memória de São José Operário

 

Voltar ao topo

 

Este texto não pode ser reproduzido sob nenhuma forma; por fotocópia ou outro meio qualquer sem autorização por escrito do autor Pe. Divino Antônio Lopes FP(C).

Depois de autorizado, é preciso citar:

Pe. Divino Antônio Lopes FP(C). “Pensamentos diversos III”

www.filhosdapaixao.org.br/escritos/colecoes/livros/058_pensamentos_diversos_lll.htm