Instituto Missionário dos Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

 

27 de outubro de 2019

 

OS FILHOS E FILHAS DA PAIXÃO DE JESUS CRISTO E DAS DORES DE MARIA SANTÍSSIMA DEVEM CONFIAR PLENAMENTE EM DEUS

 

 

1.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Os Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima devem confiar plenamente em Deus... sem duvidar... confiança verdadeira, sincera... devem lançar-se nos braços poderosos do Senhor, principalmente nas horas difíceis: “Repouso tranquilo e firme segurança para os fracos, só nas chagas do Salvador! Ali permaneço seguro porque ele é poderoso para salvar. O mundo agita, o corpo dificulta, o demônio arma ciladas; não caio, estou firme na rocha” (São Bernardo de Claraval).

Aquele que confia nas criaturas não pode repousar com tranquilidade; mas sim, vive angustiado e inquieto, porque o coração do homem muda continuamente e é traidor. É grande sabedoria confiar em Deus de todo o coração, porque Ele não despreza nem abandona um coração confiante: “Entrega teu caminho a Deus. Confia n’Ele, e ele cuidará de ti. Já fui moço e agora sou velho, e nunca vi um justo abandonado, nem seus filhos mendigando pão” (Sl 37, 5. 25).

Deus é a rocha que mantém o religioso do nosso Instituto firme e seguro nas horas difíceis... a “enxurrada” das provações furiosas e constantes não o arrastará para o “abismo” do desânimo nem para a “fossa” do desespero.

 

 

2.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto deve ser um “monte Sião”, isto é, não deve retroceder, recuar, se dissolver... diante de uma tempestade, provação e perseguição; mas sim, deve permanecer firme, forte e imóvel... com os olhos fixos no poder de Deus, confiante na ajuda do alto... permanecendo irredutível e perseverante no caminho da luz... dizendo com fé e confiança: “O homem justo há de alegrar-se no Senhor e junto dele encontrará o seu refúgio, e os de reto coração triunfarão” (Sl 63, 11).

É perda de tempo, imprudência e grande perigo para a salvação da alma voltar as costas para o Criador e se inclinar diante das criaturas falsas, golpistas e volúveis. Somente Deus merece a nossa confiança... Ele jamais nos abandonará: “O nosso fim é Deus, fonte de todos os bens, e devemos, como repetimos em nossa oração, confiar unicamente nele e em mais ninguém” (São Jerônimo Emiliani, Das Cartas a seus confrades).

Aquele que confia no poder de Deus jamais deixará de caminhar para o céu... não se prostrará nas sarjetas... não desistirá da batalha... porque Deus não despreza quem confia no seu poder: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fl 4, 13).

 

 

3.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O Filho da Paixão do Salvador deve dizer sempre com fé e confiança... principalmente nas horas difíceis: “Eu confio em ti, que eu não seja envergonhado” (Sl 25, 2). É preciso confiar verdadeiramente em Deus... sem limites... esse foi o caminho percorrido pelos santos... é o caminho do céu. Deus jamais decepcionará o filho que confia no seu poder.

O religioso que não confia no poder e na ajuda de Deus não consegue escalar as altas “muralhas” nem perseverar nas horas difíceis. Para vencer as batalhas diárias é preciso confiar plenamente em Deus... é preciso se apoiar no Senhor que tudo pode. Aquele que confia em Deus não “bebe” em “fontes” duvidosas; mas sim, se apoia no Criador... fonte verdadeira... fonte que o fortalece sempre... na calmaria e na dificuldade.

Quem confia em Deus jamais será vencido pelas dificuldades que surgem pelo caminho, mas caminha com segurança... sem se desfalecer... o Criador o fortalecerá sempre: “Quando eu penso: ‘Estou quase caindo!’ Vosso amor me sustenta Senhor! Quando o meu coração se angustia, consolais e alegrais minha alma” (Sl 93, 18-19).

 

 

4.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Os Filhos e Filhas da Paixão de Jesus e das Dores de Nossa Senhora devem confiar sempre em Deus... na calmaria e na tempestade... na fartura e na carência... o poder de Deus deve estar sempre diante de seus olhos: “Só em vós eu coloquei minha esperança!” (Sl 39, 8).

Nenhum acontecimento pode fazer o religioso do nosso Instituto desconfiar de Nosso Senhor. Aquele que desconfia de Deus não pode agradá-lo: “Lembra-te de que a falta de confiança é a coisa que mais fere o Coração divino” (Santa Teresa do Menino Jesus).

Para obter a ajuda de Deus é preciso confiar no seu poder, porque o Senhor nunca falha: “Quanto maior é a confiança em Jesus tanto mais misericordioso é o seu socorro” (Pe. João Colombo). Deus socorre aquele que confia plenamente no seu poder!

É preciso confiar sempre no Criador, principalmente quando Ele permite que Satanás nos assalte com todas as forças. É preciso confiar em Deus nas horas da tentação, do desânimo, das dúvidas e dos temores. Em cada uma destas horas há necessidade de uma grande confiança que alargue o coração e o transporte ao alto, ao amplexo (abraço) de Deus.

 

 

5.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto deve confiar em Deus nas alegrias e nas tristezas... na saúde e na enfermidade... na paz e na guerra... na tranquilidade e na provação... Deus deve ser o centro de sua vida... nada o pode abalar... ele deve esperar sempre na força do alto, força que não trai nem abandona um coração confiante: “Mas exulte de alegria todo aquele que em vós se refugia; sob a vossa proteção se regozijem os que amam vosso nome! Porque ao justo abençoais com vosso amor e o protegeis como um escudo!” (Sl 5, 12-13).

Não devemos buscar apoio no que passa e nas coisas caducas desse mundo, porque é impossível construir algo seguro sobre a areia movediça. Somente Deus pode nos sustentar verdadeiramente: “Só Deus possui o verdadeiro bem. Suas promessas são divinas. No seu serviço só se encontra honra, prazer puro e perfeito” (São Pedro Julião Eymard, A Divina Eucaristia, Vol. 3).

 

 

6.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Aquele que confia em Deus não se desespera nas horas difíceis e de provações, mas olha para a Luz Eterna e “mergulha” n’Ela com o coração confiante e cheio de esperança... espera no Criador sem duvidar da sua ajuda e proteção: “A minha glória e salvação estão em Deus; o meu refúgio e rocha firme é o Senhor! Povo todo, esperai sempre no Senhor, e abri diante dele o coração: nosso Deus é um refúgio para nós!” (Sl 62, 8-9).

Os Filhos e Filhas da Paixão de Jesus e das Dores de Nossa Senhora devem refugiar-se em Deus... somente n’Ele está a verdadeira segurança. As criaturas são falsas, perigosas e interesseiras! É preciso esperar no Criador com o coração confiante... é preciso abrir o coração para Deus com alegria e fé. Deus não mente... o Senhor não engana... por que duvidar do seu poder? Ele é um refúgio para nós! Por que duvidar de suas palavras... de sua segurança e refúgio? Devemos dizer com os lábios, coração e alma: “Eu exulto de alegria no Senhor, e minh’ alma rejubila no meu Deus” (Is 61, 10).

Confiar em Deus é caminhar com segurança... é subir a “montanha” das dificuldades olhando sempre para frente... é duvidar das próprias forças... é dizer com sinceridade: conseguirei com a ajuda do alto! Confiar em Deus é caminhar sem desanimar... é lançar-se nos braços do Criador sem duvidar... é fazer o que está ao nosso alcance sem buscar o comodismo: “Jesus nunca recompensa a apatia e a preguiça. Sem luta, nada se consegue... Para atingirmos qualquer meta humana ou espiritual, temos que lutar com garra” (Dom Rafael Llano Cifuentes).

 

 

7.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Os Filhos e Filhas da Paixão do Salvador devem confiar somente em Nosso Senhor, porque a verdadeira consolação está somente n’Ele... e fora d’Ele só existe decepção, tristeza e inquietação. É preciso esperar sempre em Deus e confiar no seu poder! Aquele que confia verdadeiramente no Criador não se abala diante das provações e não desvia os olhos do caminho da santidade.

Deus não abandona um coração que confia no seu poder e que busca refúgio e proteção na sua força. Quem confia no Senhor permanece de pé e firme diante das “tempestades” da vida: “Eles lutarão contra ti, mas nada poderão contra ti, porque eu estou contigo... para te libertar” (Jr 1, 19).

O religioso que confia em Deus vive feliz, mesmo que surjam obstáculos e fortes “muralhas” no seu caminho... o Senhor o protegerá todos os dias: “Felizes hão de ser todos aqueles que põem sua esperança no Senhor” (Sl 2, 12).

 

 

8.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto deve confiar em Deus sem oscilar... deve confiar n’Ele  com uma fé inabalável... olhando sempre para frente e com a certeza de vencer todos os obstáculos e de alcançar o que deseja... deve confiar com os olhos fixos na vitória.

Aquele que confia em Deus suporta o peso das provações com alegria e confiante na vitória, porque Deus é proteção segura e não despreza quem implora com humildade a sua ajuda: “Tende sempre confiança no Senhor, pois é Ele nossa eterna fortaleza” (Is 26, 4). É preciso confiar sempre em Deus, não somente um dia, uma semana, um mês... um ano. Quem não confia em Deus caminha sem segurança! Quem confia no Senhor é abençoado por Ele: “Porque ao justo abençoais com vosso amor, e o protegeis como um escudo!” (Sl 5, 13).

Antes de iniciar um trabalho, o religioso do nosso Instituto deve depositar a confiança no Senhor que tudo pode... deve entregar tudo nas mãos do Deus poderoso: “Lança sobre o Senhor teus cuidados, porque ele há de ser teu sustento, e jamais ele irá permitir que o justo para sempre vacile!” (Sl 54, 23).

Cada pulsar do nosso coração deve ser um “hino” de confiança no Deus que tudo pode... “hino” sem desafino e sem interrupção... “hino” suave e afinado.

 

 

9.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Aquele que confia no poder do Criador não deixa de caminhar pelo caminho da santidade, mesmo que surjam grandes provações. Quem se apoia no Salvador não treme diante das altas “montanhas”; mas sim, escala-as com valentia, firmeza e perseverança... com os olhos fixos no Senhor que tudo pode: “Sobrevêm muitas ondas e fortes procelas; mas não tememos afundar, pois estamos firmes sobre a pedra. Enfureça-se o mar, não tem forças para dissolver a pedra; ergam-se as vagas, não podem submergir o navio de Cristo... Cristo comigo, a quem temerei? Mesmo que as ondas se agitem contra mim, mesmo os mares, mesmo o furor dos príncipes: tudo isto me é mais desprezível que uma aranha” (São João Crisóstomo, Das Homilias).

Os Filhos e Filhas da Paixão de Jesus e das Dores de Maria Santíssima devem esperar sempre em Deus... esperar ser duvidar... esperar com grande confiança, porque o Senhor não abandona quem confia na sua força. Aquele que duvida do Criador caminha no vazio e não o agrada. Deus é coluna segura onde podemos nos apoiar com confiança, principalmente quando sopram ventos contrários.

Devemos repetir a cada minuto: Meu Senhor, confio em Ti... confio no seu poder... apoiado na sua força vencerei todos os obstáculos... passarei sobre as altas e imponentes “muralhas”... caminharei com firmeza e segurança por caminhos difíceis... carregarei o peso do fardo sem reclamar. O Senhor é o meu Pastor... sou sua pobre e fraca ovelha!

 

 

10.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto não pode deixar de caminhar para o céu por causa das muitas provações e grandes obstáculos. É preciso se apoiar em Deus e confiar na sua ajuda. Em Deus não há limites... Ele não despreza uma alma que confia no seu poder... o Senhor socorre aquele que se inclina diante do seu poder e força. É preciso olhar sempre para frente confiando no Deus poderoso que não abandona um coração confiante.

O Filho da Paixão deve caminhar sempre com a cabeça erguida, isto é, confiante na vitória... firme diante das dificuldades... contando sempre com a ajuda do Deus poderoso: “Reavive a cada momento a sua confiança em Deus e mais ainda na hora das provações” (São Pio de Pietrelcina).

Aquele que confia em Deus não fica isento dos sofrimentos; mas sim, suporta-os com amor, alegria, firmeza e confiança: “A vida é uma luta contínua, e temos que enfrentar as coisas que se nos apresentam com espírito de fé. Às vezes nos defrontamos com problemas à primeira vista insolúveis, porém, a confiança em Deus resolve tudo. Se tivermos uma fé firme em Deus, então, por mais difícil que seja o problema, sempre se encontra uma solução. Diante de sofrimentos, lutas e tribulações, devemos nos guiar pela nossa fé. Tudo se torna mais fácil, quando se tem fé. Não uma fé oscilante, mas uma fé firme naquele que tudo pode e tudo nos concede” (Santa Dulce dos pobres).

Quem confia no poder de Deus permanece firme nas horas difíceis e não desiste da caminhada para o céu: “Pois nos tornamos companheiros de Cristo, contanto que mantenhamos firme até o fim a nossa confiança imensa” (Hb 3, 14).

 

 

11.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Os Filhos e Filhas da Paixão de Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima devem confiar em Deus... rezar com confiança... suplicar a ajuda do Criador com confiança. O Senhor não abandona quem confia plenamente no seu poder: “Ninguém esperou no Senhor e foi confundido” (Eclo 2,11).

Ensinou-nos Jesus Cristo que, ao pedirmos a Deus alguma graça, lhe demos o vocativo de Pai nosso, a fim de que lhe roguemos com aquela confiança que um filho tem ao recorrer ao seu próprio pai. Quem reza com confiança, tudo obtém. Para todas as coisas que pedirdes na oração, tende viva fé de consegui-las e vo-las serão concedidas. E quem pode ter receio, diz Santo Agostinho, de ser enganado na sua expectativa, se a promessa lhe foi feita pela própria Verdade, que é Deus? Deus não é como os homens, que, às vezes, deixam de cumprir o que prometem, ou porque mentiram quando prometeram, ou porque mudaram depois de vontade (Nm 23,19). Se o Senhor — acrescenta Santo Agostinho — não quisesse conceder-nos as suas graças, para que nos havia de exortar continuamente a pedi-las? Prometendo, contraiu a obrigação de nos conceder as graças que lhe suplicarmos (Santo Afonso Maria de Ligório, Preparação para a morte).

Deus não mente, não engana, não faz falsas promessas... Ele atende aquele que confia na sua força e proteção. Quem confia em Deus obterá o que pedir!

 

 

12.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto deve confiar em Deus, porque Deus é a Verdade... n’Ele não há mentira nem falsidade. Aquele que confia em Deus vive seguro e não se deixa enganar pelas coisas vazias, caducas e passageiras desse mundo. É preciso confiar em Deus porque Ele é bondade infinita... sabedoria infinita... o poder a que nada resiste... e Ele nos assegura que quer nos salvar e que nos salvará de fato se quisermos. Por que duvidar do Deus da Verdade? Quem confia em Deus corre velozmente pelo caminho da santidade!

Não podemos duvidar de Deus por causa das nossas fraquezas, misérias e pecados. Os condenados “do inferno não esperam em Deus, porque para eles já não há remédio nem redenção” (Pe. Luís Bronchain). Quanto a nós, por miseráveis que sejamos, achamos sempre em Deus a promessa que o obriga a perdoar-nos e salvar-nos se o quisermos.

A confiança em Deus nos “empurra” com violência para frente... é um “vento” que sopra a nosso favor. É grande sabedoria confiar no Deus que tudo pode! Quem confia em Deus não desiste da caminhada para o céu, mesmo que surjam grandes “muralhas” pelo caminho.

 

 

13.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

O religioso do nosso Instituto deve caminhar sempre na presença de Deus e confiar na sua proteção, amparo e ajuda... aquele que confia no Senhor vive seguro e jamais será abandonado por Ele... mas o que desconfia de Deus é louco e caminha com total insegurança: “A desconfiança é o pecado dos loucos” (São José Cafasso).

Os santos passaram por dificuldades, provações e tentações... mas confiaram em Deus e não foram abandonados por Ele... venceram pequenos e grandes obstáculos sem retroceder... enfrentaram as “muralhas” com os olhos fixos no Deus que tudo pode... fizeram todo o bem agarrados nas mãos do Deus Onipotente, apoiados no Senhor Forte e Poderoso:  “Sem confiança em Deus não podemos realizar nada” (Bem-aventurado José Allamano, A Vida Espiritual).

Os Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima devem realizar o bem confiando na proteção de Deus... o Senhor não abandona um coração confiante: “É preciso que tenhamos fé e esperança em um futuro melhor. O essencial é confiar em Deus. Considero tudo o que foi conseguido até hoje como um milagre de Deus” (Santa Dulce dos pobres).

O trabalho que realizamos para a glória de Deus e para o bem do próximo é um verdadeiro milagre do alto... somente Deus para nos sustentar enviando benfeitores e pessoas para comprar os nossos livros e terços. Sustentamos, com alimentação, mais de 200 crianças no Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Chile, Equador, Colômbia e Venezuela todos os dias... e imprimimos milhares dos nossos livros (catecismos, panfletos para evangelização e outros)... somente a confiança em Deus pode nos manter de pé diante de tantos exploradores e parasitas. Não podemos nos apavorar diante das dificuldades que encontramos pelo caminho (exploração, olho grande e “gordo”)... Deus ajuda aquele que confia no seu poder; Ele é rico e nos ajudará sempre: “Não temas, porque eu estou contigo, não fiques apavorado, pois eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, sim, eu te ajudo; eu te sustento com a minha mão direita” (Is 41, 10).

Confiando no Deus rico e poderoso vamos fundar as Missões para crianças pobres no mundo inteiro... ninguém nos deterá. Estamos apenas iniciando. Quem confia em Deus não pode cruzar os braços diante da crise e provações... o nosso Deus não se chama crise.

 

 

14.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Devemos confiar plenamente em Deus! Sem a ajuda do Senhor é impossível realizar todo bem que desejamos realizar. A nossa vida é um milagre diante dessa terrível crise que assola o mundo. Estamos de pé porque confiamos e nos apoiamos no Deus que tudo pode... o Criador não despreza o coração que confia no seu poder: “Quem tem essa confiança não se deixa perturbar por coisa alguma; fica de pé no meio de todas as ruínas; domina todos os elementos adversos, porque está apoiado em Deus” (Pe. João Colombo).

O religioso do nosso Instituto deve confiar em Deus sem se deixar perturbar... é preciso confiar cegamente em Deus... lançar-se nos seus braços sem se desesperar: “Eu quisera achar um elevador que me elevasse até Jesus! O elevador que deve elevar-me ao céu são os vossos braços, ó Jesus!” (Santa Teresa do Menino Jesus).

É preciso confiar em Deus... mas é preciso também trabalhar com garra, fervor e perseverança. Deus não ajuda preguiçoso e apático! Não basta confiar no Senhor, Ele quer que trabalhemos até “doer”. Confiar em Deus e cruzar os braços é esperar em vão! Jesus curou o homem que possuía a mão atrofiada, mas antes exigiu que ele a estendesse: “Em seguida, disse ao homem: ‘Estende a mão’. Ele a estendeu e ela ficou sã, como a outra” (Mt 12, 13).

 

 

15.ª Reflexão

 

No Salmo 125, 1 diz: “Os que confiam em Deus são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre”.

 

Os Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima devem confiar sempre em Deus... não podem desconfiar do Deus que tudo pode: “A alma que desconfia assemelha-se ao pássaro de asas cortadas: não tem possibilidade de voar” (Bem-aventurado José Allamano, A Vida Espiritual). Aquele que desconfia de Deus não alça “voo” na vida espiritual... não cresce na santidade e perfeição, mas permanece rasteiro... “bebendo” da lama do mundo.

O religioso que desconfia do poder de Deus não pode realizar nada de bom, porque longe do Senhor não existe progresso. É grande loucura desconfiar de Deus: “Tudo pode me acontecer, inclusive de cometer pecado mortal, mas nunca perderei a confiança” (São Cláudio de la Colombière).

Aquele que confia em Deus não perde tempo com o que passou; mas sim, se agarra com confiança no Deus que tudo pode: “Se tivermos esta confiança, evitaremos o obstáculo da perturbação e dos escrúpulos” (Bem-aventurado José Allamano, A Vida Espiritual).

É grande sabedoria confiar em Deus! A nossa confiança no Salvador deve ser inabalável! Nenhuma provação pode abalar a nossa confiança no Deus que tudo pode. Na calma e na tormenta devemos permanecer com os olhos fixos na Luz Eterna, isto é, em Deus.

 

 

 

Pe. Divino Antônio Lopes FP (C)

27 de outubro de 2019

 

Voltar ao topo

 

Este texto não pode ser reproduzido sob nenhuma forma; por fotocópia ou outro meio qualquer sem autorização por escrito do autor Pe. Divino Antônio Lopes FP(C).

Depois de autorizado, é preciso citar:

Pe. Divino Antônio Lopes FP(C). “Os Filhos e Filhas da Paixão de Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima devem confiar plenamente em Deus”

www.filhosdapaixao.org.br/escritos/colecoes/reflexoes/005_reflexoes_novembro_2019.htm