Instituto Missionário dos Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

 

13 de novembro de 2016

 

 

Apresentação

 

Prezado leitor, leia e medite cada pensamento deste livrete, Santo Natal, escrito pelo Revmo. Pe. Divino Antônio Lopes FP(C), para que você, "entrando" na Gruta de Belém, consiga transformar também o seu coração em bela manjedoura para o Menino Deus nascer.

 

Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor

Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

 

01

Deus Eterno e Onipotente encarregou os anjos de anunciar aos pastores o nascimento do Menino Jesus... assim Ele também encarregou a Santa Igreja Católica Apostólica Romana de dizer-nos: Preparai-vos para receber o Senhor que há de vir. O Senhor não quer que preparemos a despensa, mas sim, a alma.

02

Para agradar o Menino Jesus, devemos entrar na “gruta” do nosso coração e realizar uma cuidadosa e zelosa faxina com a “vassoura” da Confissão.

03

O Menino Deus, que vem nascer para nós, tem grande desejo de nascer na “manjedoura” do nosso coração; mas não o fará senão segundo a medida de nossa preparação. Ele, Deus Puro e Santo, não nascerá num coração sujo pela lama do pecado!

04

O Adorável Menino dará com abundância aos corações preparados a paz prometida aos homens de boa vontade. Paz verdadeira que o homem não pode dar!

05

O Menino Amor é também o Menino Justo. Ele, que não pode fingir, fechará o seu Doce Coração e a sua Bondosa Mão, aos corações mal preparados. Quem está nas trevas do pecado não receberá a Luz Eterna!

06

O Puro Menino deseja nascer numa “manjedoura”, isto é, num coração limpo. É preciso, então, limpá-la com o “pano” do recolhimento interior e com a “água” pura da oração contínua e bem feita.

07

Um coração cheio de distração e apego às coisas caducas desse mundo não pode agradar nem atrair o Menino silencioso.

08

É grandessíssima hipocrisia, estar em pecado mortal, e desejar Feliz Natal ao próximo. Não há Natal para quem está com o demônio no coração! Jesus Menino não nasce num coração onde reina o rei das trevas!

09

Jesus Menino, Luz Eterna, veio iluminar os homens! Veio para salvá-los! Mas, milhares... milhões, ou melhor, bilhões, jazem nas trevas da morte! Quanta escuridão! É grande ingratidão voltar as costas para o Salvador!

10

Jesus Menino nasceu para iluminar os corações... mas milhões permanecem “mergulhados” nas trevas do pecado. A Luz está em todas as partes, mas não a aceitam. Triste rebeldia!

11

Quando uma luz é muito forte, o homem tem o costume de tapar os olhos e de desviar o rosto. Depois de dois mil anos do nascimento de Jesus, Luz do mundo, a sua claridade continua a incomodar milhões de pessoas que vivem nas trevas. Milhões tapam os olhos para não contemplar sua Luz! Quanta cegueira!

12

Para muitas pessoas, o Menino Jesus é uma Luz que dói, porque suas ações sendo más, não querem ser discernidos pela Luz Eterna. Ninguém pode se esconder dessa Luz!

13

Para o santo, o Doce Menino é a Luz que se revela, a doce Luz que guia... a Luz que aperfeiçoa. Quem busca a perfeição não teme em contemplar a Luz Eterna!

14

O Menino Jesus não nascerá de novo corporalmente na pobre gruta de Belém; mas sim, nascerá espiritualmente nas almas bem dispostas, às quais comunicará suas graças e seu espírito. Não é hora de cochilar!

15

O Santo Natal não é dia de trocar presentes entre os familiares, pois o aniversariante é o Menino Deus. Ele, sim, merece ganhar de presente um coração limpo para nascer.

16

Aproximemo-nos com humildade do Menino Jesus... com sentimento da nossa nulidade e miséria. Nasceu o Salvador!

17

É triste ver milhões de pessoas se preparando para o Santo Natal somente externamente... materialmente. Para milhares é a Festa do bucho. O caminho pelo qual Jesus Menino virá é o nosso coração... é preciso prepará-lo com zelo: nivelá-lo, fugindo das ocasiões de pecado; limpá-lo de todo lixo, isto é, purificando-o de toda culpa... e adorná-lo, isto é, embelezá-lo com boas obras.

18

O Puro Menino não nascerá num coração onde reina a impureza, a imoralidade e a impudicícia. Ele, ao nascer, não se importou nem com riquezas, nem com casa... nem com berço. Mas quis nascer de uma Virgem!

19

Trevas e luz não combinam! Jesus e o pecado não combinam! O Adorável Menino não pode nascer “onde os demônios dançam e as sereias fazem ninho” (São Jerônimo).

20

Para milhões de pessoas, o Santo Natal é um dia de luto. Na “manjedoura” de tantos corações o Menino Deus está “morto”. Foram os pecados mortais que o “mataram”.

21

A alma que não possui o Menino Jesus é um deserto: é árida e inculta, não produz nenhum fruto de vida... e também não lhe faltam as serpentes que são os demônios. Quanta solidão onde falta Deus! Quanta sequidão onde a graça não chove!

22

Fazer do Santo Natal uma festa de alegria mundana... seria grande profanação.

23

O Natal foi para Jesus Cristo o princípio de uma vida de dores e de sacrifícios. Indigno de Cristo é todo aquele que, em vez da cruz e da pobreza de Belém, procura riquezas, honras e prazeres.

24

O Santo Natal é a Festa do amor misericordioso de Deus. O Bondoso Menino nasceu para remir-nos do inferno e dar-se todo a nós. Verdadeiro amor! Como pagamos tanto amor?

25

O nascimento de Jesus Cristo trouxe a verdadeira alegria ao mundo! O homem se achava em estado de condenação e o Amável Menino nasceu para salvá-lo. Agradeçamos ao Senhor por tão grande amor!

Voltar ao topo

 

Este texto não pode ser reproduzido sob nenhuma forma; por fotocópia ou outro meio qualquer sem autorização por escrito do autor Pe. Divino Antônio Lopes FP(C).

Depois de autorizado, é preciso citar:

Pe. Divino Antônio Lopes FP(C). “Santo Natal”

www.filhosdapaixao.org.br/escritos/colecoes/livros/046_santo_natal.htm